Avaliando bike Aero vs Leve.

Uma bicicleta bem leve é melhor que uma aero?

A ideia aqui é avaliar os dois principais tipos de bicicletas para estradas, ou “road bike”, tentando descobrir onde cada uma delas é mais indicada.

Certamente importa muito a posição do atleta na bike, do material que usa, como capacete, roupas, etc. Mas aqui nosso objetivo é falar do quadro.

Observe os catalogos da maioria dos principais fabricantes e verá as bicicletas de corrida de desempenho divididas entre aero e leve. A Trek tem sua bicicleta leve Emonda e sua bicicleta aero Madone, a Giant tem sua bicicleta leve TCR e sua bicicleta propel aero, Merida tem sua bicicleta leve Scultura e sua bicicleta aero Reacto, não posso deixar de citar aqui o fabricante que trabalhamos costelo, tendo sua bike leve speedmachine e a aeromachine, na foto, enfim todos seguem esta linha.

Algumas bicicletas leves tem uns toques aero, e algumas aero são mais leves, mas o importante, não se pode ter os dois mundos em uma única bike, isto é ponto comum nos atuais fabricantes.

O chefe de design da Mérida, um dos maiores fabricantes de quadros do mundo, Jurgen Falke, disse algo muito interessante: “O peso da bicicleta é relevante apenas para aceleração e montanhas muito íngremes. A influência do peso é a questão mais superestimada [nas] bicicletas de estrada. ”

A Merida informou que se você estivesse andando a 30 km / h em uma estrada plana com uma determinada potência, uma redução de 2 kg no peso aumentaria sua velocidade em apenas 0,05 km / h – você iria apenas 50 metros a mais em uma hora de bicicleta. E 2 kg é uma grande redução em termos de bicicleta de estrada, isto é teste não é “achismo”. Para referência em média um conjunto de quadro+garfo+canote para uma bicicleta aero pesa 250 gramas a mais que um quadro leve. Outra questão relevante que não se pode usar bicicletas com peso total inferior a 6.80 kg em provas oficiais de ciclismo UCI.

Em outras palavras é difícil você retirar peso de forma que você aumente sua velocidade no plano ou mesmo em montanhas curtas. Mas consegue embutir cabos, sumir com várias partes aparentes melhorando e muito o rendimento aero das bikes.

Importa muito a posição do atleta na bike, do material que usa, como capacete, roupas, etc. Mas aqui nosso objetivo é falar do quadro.

Swiss Side Wind Tunnel 25.jpg

Uma empresa suíça http://www.swissside.com/ tem um programa de testes interessantes, que consegue simular situações variadas. Em um dos cenários de testes, temos 120 km com ganho altimétrico de 1200 metros. A empresa diz que um atleta médio faz este trecho com velocidade média de 30 km/h. Então qual a diferença que 100 gramas introduz no tempo total? apenas 3 segundos.

Os ganhos introduzidos por modificações na parte aero do quadro levam a ganhos bem maiores, basicamente se consegue ganhos na ordem de 6x mais tempo que na redução de peso, proporcionalmente falando. Então para planos e subida de baixa inclinação a bicicleta mais aero leva vantagem.

Bom mas quando uma bike mais leve por ser vantajosa? A resposta que a empresa obteve é que em inclinações superiores a 4.5% na média o peso começa a ser mais relevante que a parte aero, porém se o atleta consegue imprimir velocidade superior a 15km/h mesmo na subida então a parte aero é mais vantajosa, para um atleta profissional isto ai se reflete em subidas longas com gradiente acima de 7.5%. A velocidade passando de 35km/h a parte aero se torna 4x mais importante que o peso da bicicleta.

A speciliazed tem um programa que consegue indicar dependendo do perfil da prova a melhor opção, porém, algumas particulares em corrida tem que ser levadas em consideração. Se você tem um perfil de prova ondulado com subidas curtas e rápidas ou mesmo um final em subida, em geral a bicicleta mais leve vai levar vantagem sobre uma bicicleta aero, devido ao ganho nas arrancadas de aceleração no morro.

O que deve ser levado em consideração é o uso principal da bicicleta e em casos de competidores, qual o seu perfil principal. Tem atletas que não são escaladores, então não faz sentido perder a parte aerodinâmica para ganhar uma bicicleta mais leve.

Nas palavras do diretor da Swiss Side’s Jean-Paul Ballard.

“No geral, em 90% dos casos (pedaladas/treinos/competições) você vai preferir um ajuste aero na sua bike”

Ainda existe um último fator relativo a conforto em bicicletas aero e bicicleta leves. A busca pela melhor parte aero leva também o atleta a ficar em uma posição que confira menor arrasto no seu movimento, para muitos esta posição não é alcançada com conforto, principalmente para quem não pedala com frequência, ou que já sofreu algum problema lombar. Em geral estes quadros acabam sendo um pouco mais alongados para oferecer melhor posição aero. Mas seja ela uma bike aero ou uma leve, a recomendação é passar pelo profissional de bike fit, para que possa achar sua melhor posição.

Então podemos finalizar concluindo que se você puder ter duas bicicletas com quadros diferentes ótimo, senão tudo leva a crer que será melhor possuir uma bicicleta aero.

1 comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s