Mês: janeiro 2016

Entendo Sobre Pneus de Bicicleta

Hoje o assunto que busquei avaliar está relacionado as medidas existentes para os pneus das bicicletas.

As medidas são em geral referenciadas pela ISO (International Standard Organization) que criou E.T.R.T.O (European Tyre and Rim Technical Organization) em tradução livre, Organização técnica de aros e pneus européia. Basicamente criaram métodos de definir as medidas.

As medidas podem ainda seguir outros métodos, como o francês ou o americano, mas são compatíveis entre si.

Vamos ver alguns exemplos, para bicicletas de estradas (road) 622 e 700, parecem que são incompativeis, mas na verdade estes números no fim representam a mesma medida, porém em sistemas diferentes. Veja a figura abaixo:

Vemos o seguinte segundo o método da ISO, medimos internamente o aro, isto considerando o ponto onde o pneu encaixa no aro.

rim diagram

Desta forma o aro de road mede internamente 622mm e externamente 700mm. Então já sabemos que o primeiro número trata do diâmetro da roda, este número ainda pode ser expresso em polegadas (Americano), as MTB usa muito pois nasceram nos EUA. As MTB aro 29 na verdade são aro 28 vide tabela abaixo, que é o mesmo diâmetro das bikes de estradas, surpresa!

tamanhosdepneus

Existe um segundo número que informa a largura do pneu, este número em geral é dado em mm, segundo a ISO e a medida francesa, por exemplo um pneu de 700c-23, teria 23mm de largura, e assim sucessivamente. Esta medida ainda pode ser dada em polegada, novamente aqui aparece a influência norte americana.

Para as bikes de estrada, o comum é o 700c ou 622, se for bikes de triathlon e algumas bikes de contra relógio é possível encontrar 650A ou 590, rodas um pouco menores. Para MTB hoje comum termos 26, 27.5 ou 28 polegadas.

A influência da largura do pneu, está basicamente relacionada ao aumento do conforto na pedalada e na segurança para realizar curvas, quanto maior a largura mais confortável e mais estável nas curvas. Em geral perde um pouco de performance com o aumento do atrito. Um pneu de menor diâmetro vai necessitar uma maior pressão que um pneu mais largo.

Para a escolha correta hoje, indicaria pneus para road de 23, 24 ou 25 mm. Tem um detalhe importante, verifique se o seu quadro suporta a largura do pneu, muitos fabricantes limitam a largura máxima do pneu, isto em função do projeto aerodinamico do mesmo.

Importante ainda notar que seu aro pode ser de 19mm de largura interna, e mesmo assim você pode usar pneus de 23mm, isto tudo deve ser consultado junto ao fabricante do aro.

Quanto a pressão, todos os pneus tem uma marcação em P.S.I (Pound force for Square Inch) force em libras por polegada quadrada, marcação do máximo e do recomendado. Os aros também tem uma medição da sua capacidade máxima de pressão. Estes valores devem ser respeitados, lembrar que caso venha a pedalar em um dia quente a temperatura alta irá fazer a pressão no pneu subir. Sensato neste caso calibrar com um pouco menos.

Os pneus em geral tem uma tabela que associa o peso do atleta a pressão necessária do mesmo. Isto para trazer maior conforto para o ciclista.

Eng. Rostan Piccoli

Problemas em Gancheira, Corrente.

Caros colegas, hoje pretendo falar a respeito de um problema que já ocorre inúmeras vezes e sempre traz consequências graves.

A questão envolve de alguma forma o travamento do sistema de roda livre do cubo, o que faz com que todo o conjunto de cambio seja rotacionado.

Ao rotacionar o cambio vai de encontro ao quadro, com sorte a gancheira quebra ou torce, não deixando o quadro quebrar, mas dependendo da situação o quadro também será danificado.

Levantei as causas mais comuns, mas não é uma lista completa:

1 – Acredito que uma das principais, falta de lubrificação no free hub do cubo, parte onde é fixado o cassete da bicicleta. Com a falta de lubrificação o free hub travando, vai levar a rodar tudo junto com a roda. Recomendo manter a lubrificação do mesmo, e ao descer morros, vá girando de leve que seja o pé de vela, isto vai poupar o free hub da roda,

2 – Desalinhamento da gancheira, caso a gancheira não esteja corretamente alinhada pode fazer com que o câmbio agarre na hora de fazer uma mudança de marcha, o que fará o sistema rodar todo e novamente ocorrer o problema. Recomendo que de tempo em tempo seja feito o alinhamento da gancheira com ferramenta especifica, o desalinhamento pode ser por pancada, esforço na gancheira entre outras causas;

3 – Uso de roldanas erradas no câmbio, pode parecer que não tem causa direta, mas sim se você usar roldanas de diâmetro errado, largura de encaixe da corrente, entre outros parâmetros, isto pode levar também ao travamento do sistema e gerar o problema principal do post;

4 – Uso de corrente com gasto excessivo, se utilizar uma corrente além da margem de dilatação da mesma, isto tem ferramenta especifica para medir, a mesma pode montar de forma errada no cassete e também gerar um situação que leve ao problema de travamento e quebra de gancheiras e quadros;

5 – Ainda pode ocorrer causas mais raras, e que são difíceis de evitar, como objetos que entram no sistema de cambio, corrente e cassete, desde galhos, sacolas, animais entre outros, quase sempre danificam seriamente a bicicleta.

Em resumo, se você quer evitar problemas, mantenha a bicicleta com a revisão adequada e a medição em dia, no free hub, nas roldanas do câmbio, no alinhamento da gancheira, e na corrente.

 

Caso queira informar outras causas que esqueci de mencionar aqui, fiquem a vontade

Eng.: Rostan Piccoli

rostan.piccoli@gmail.com